"Mulheres que Inspiram" - a liderança no feminino

Formulário de pesquisa

"Mulheres que Inspiram" - a liderança no feminino

"Mulheres que Inspiram" - a liderança no feminino

O sucesso no feminino deu origem a um livro que compila 13 histórias de mulheres portuguesas com percursos notáveis, em diferentes setores de atividade e analisa o que têm em comum estes perfis tão diversificados.

O que têm em comum Catarina Furtado, Marisa Matias, Joana Vasconcelos, Assunção Cristas ou Clara de Sousa? Além de serem mulheres que se notabilizaram pelo seu percurso profissional de sucesso, são mulheres inspiradoras.

 

As histórias de 13 mulheres – Assunção Cristas, Catarina Furtado, Clara de Sousa, Cristina Fonseca, Elisa Ferreira, Elvira Fortunato, Esmeralda Dourado, Fátima Barros, Joana Vasconcelos, Leonor Freitas, Maria Manuel Mota, Marisa Matias e Susana Barroso – estão reunidas no livro “Mulheres que Inspiram”, da autoria de Luís Sítima, Margarida T. Santos e Maria Tavares Leal.

 

“Quando vemos uma atleta paraolímpica, com 42 medalhas e 11 recordes mundiais(…), isso é inspirador. Quando vemos uma mulher como a Maria Manuel Mota com investigação sobre a malária reconhecida a nível mundial, isso é inspirador. Ou a Elvira Fortunato que criou uma inovação disruptiva, um transístor de papel, é inspirador, porque qualquer dia, podemos ter iPads de papel. Para não falar de casos mais conhecidos como Catarina Furtado e Clara de Sousa que "entram todos os dias" nas nossas casas através da televisão e são inspiradoras”, analisa Luís Sítima, coautor da publicação.

 

Os autores do livro cruzaram entrevistas de 13 mulheres com a sua experiência nas áreas de estratégia, liderança e gestão de recursos humanos e com a investigação desenvolvida nesta área e perceberam como estas mulheres, com idades e backgrounds tão diversos, fazem a diferença em áreas tão distintas como a ciência, o desporto, a política ou a televisão.

 

Segundo os autores do livro são seis os fatores em comum que as conduziram ao sucesso: paixão; aprendizagem; ousadia; oportunidade; determinação; impacto.

 

“Para inspirarmos os outros é preciso sentirmo-nos inspirados e só conseguimos inspirar os outros se nos sentirmos apaixonados por aquilo que fazemos. É o primeiro passo e a base de todos os outros fatores”, continua Luís Sítima, sublinhando que a atitude “ é que pode fazer e faz a diferença”. “Se olharmos para a investigação que tem sido feita em diversas áreas , estes não são fatores que sejam surpreendentes: gostar do que se faz, procurar aprender mais, ousar fazer diferente, aproveitar as oportunidades, manter a determinação e criar impacto”, analisa o diretor do Programa Avançado de Liderança da Porto Business School.

 

Estas mulheres partilham várias características: olham para a realidade sob a lógica de aprendizagem contínua e de ‘growth mindset’; têm backgrounds internacionais e retiram valor dessas experiências; ousam fazer diferente, arriscam e pensam fora da caixa; aproveitam as oportunidades que surgem; são determinadas e resilientes na adversidade; são inspiradoras e criam impacto nos outros.

 

“Mulheres que Inspiram” é um livro sobre mulheres mas que não é exclusivo para mulheres, até porque estes fatores são transversais aos homens. “Quando a Leonor Freitas procurava fazer a diferença nos vinhos da Casa Ermelinda em vinhos reconhecidos a nível mundial, era uma "menina que vinha da cidade", não tinha conhecimento dos vinhos e, naturalmente, enfrentou muitas resistências porque estava a fazer diferente. Se fosse homem, também teria tido de enfrentar essa resistência”, exemplifica.

 

Histórias de sucesso no feminino que podem ajudar a identificar e construir role models de aprendizagem. “É preciso haver cada vez mais exemplos e acho que estão criadas mais condições para que isso aconteça. Nas novas gerações já não se nota tanto essa diferença, pelo menos em termos de mindset. Existe agora uma lei que saiu relativamente à presença de mulheres nos boards das empresas, não quer dizer que eu concorde com quotas mas percebo esse conceito e o tema vai-se tornando cada vez mais normal, está na agenda e ao estar cada vez mais na agenda a verdade é que vão aparecer cada vez mais role models e cada vez mas vai ser um não tema”, analisa Luis Sítima.

 

 “Mulheres que Inspiram” é um livro inspirador que aborda o tema da igualdade de género. As estatísticas mostram que serão necessários 118 anos para que exista uma igualdade de salários e que apenas 5% das grandes empresas em Portugal são lideradas por mulheres. Uma tendência que parece estar a mudar.

 

A Islândia tornou-se o primeiro país a legislar sobre igualdade salarial entre homens e mulheres. A nova lei entrou em vigor no início deste ano e impõe a obrigatoriedade das empresas privadas e agências governamentais de comprovarem que os seus funcionários recebem salários iguais pelo mesmo tipo de trabalho, independentemente do seu género.

 

O livro, editado pela Prime Books e que aborda as questões, dificuldades e sucessos das mulheres portuguesas com carreiras de topo nas mais variadas áreas, foi apresentado em mais uma sessão do clube Alumni Leading Readers, que decorreu a 13 de dezembro, na Porto Business School.

 

Luís Sítima, docente e autor de livros há quase duas décadas, escreveu pela primeira vez um livro sobre mulheres de sucesso e confidenciou, durante a sua apresentação, ter sido sempre inspirado por mulheres durante o seu percurso profissional.