Como é que a tecnologia vai mudar o mercado de trabalho e a forma como nos relacionamos?

Formulário de pesquisa

Como é que a tecnologia vai mudar o mercado de trabalho e a forma como nos relacionamos?

Como é que a tecnologia vai mudar o mercado de trabalho e a forma como nos relacionamos?

Na semana em que muito se falou sobre o impacto da tecnologia no futuro, no âmbito da Web Summit, recuperamos a entrevista com Manuela Veloso, que esteve na Porto Business School, em julho, a propósito do Symposium 2017 da CMU Portugal.

Saber usar bem a tecnologia vai ser um grande desafio para a Humanidade. A análise de Manuela Veloso, investigadora, professora, líder do departamento de Machine Learning de Carnegie Mellon University.  

 

Para a especialista portuguesa que desenvolve investigação na Carnegie Mellon University saber usar bem a tecnologia é um desafio à Humanidade. “A tecnologia, em si, é desenvolvida, mas o uso da Tecnologia é criado pela Humanidade. Por isso, cabe a todos, sobretudo àqueles que estão mais envolvidos nestas áreas, e que têm maior perceção do impacto desta tecnologia, preparar as pessoas para fazerem o melhor uso possível das mesmas, no futuro”, conclui.

 

O uso da tecnologia no mercado de trabalho, que além de processos mais ágeis e automatizados pode revolucionar por completo o emprego através da substituição do trabalho humano por robôs, é um dos assuntos que tem sido bastante discutido.

 

De acordo com o Fórum Económico Mundial, a robotização vai provocar a perda de mais de sete milhões de postos de trabalho entre 2015-2020. Quanto ao impacto que os avanços da tecnologia terão no mercado de trabalho, Manuela Veloso acredita que a transição não será simples, por isso será necessário preparar as gerações. Às mais velhas [as gerações], ensiná-las como se redefinirem/reposicionarem, tirando partido do número muito maior das ferramentas disponíveis.

 

No caso das gerações mais novas, as escolas devem prepará-las para um processo de aprendizagem que é um processo dinâmico. "Mais do que ensinar a disciplina específica ou capacidade específica, as escolas devem preparar os alunos para que estes desenvolvam competências de adaptação dinâmica ao que o mundo será”, sustenta.

 

Considerada uma referência internacional na investigação em robótica e inteligência artificial, Manuela Veloso, responsável pela invenção dos “cobots”, robôs colaborativos que partilham informação entre si e com os humanos, tem algumas dúvidas se, no futuro, humanos e robôs serão amigos inseparáveis mas afirma que estes serão, pelo menos e com toda a certeza, amigos úteis.