“O MBA foi o melhor investimento que fiz na minha vida”

Formulário de pesquisa

 “O MBA foi o melhor investimento que fiz na minha vida”
Jorge Correia, Alumnus PBS

“O MBA foi o melhor investimento que fiz na minha vida”

O percurso de Jorge Correia na Porto Business School é longo. Começou na Porto Business School quando esta era ainda a Escola de Gestão do Porto (EGP), com um programa de empreendedorismo, promovido em parceria com a Universidade do Porto. Seguiu-se o MBA e daí ao próximo programa foi um curto passo. Na sua mais recente passagem pela Porto Business School, já no novo campus, frequentou uma pós-graduação em Business Intelligence and Analytics.

A grande mudança aconteceu com o MBA que mudou a vida deste engenheiro de formação que à semelhança de muitos alunos da comunidade Porto Business School sentiu que precisava de competências na área da gestão, que permitissem mudar o rumo da sua carreira.

 

“Mudei radicalmente -  a minha vida profissional e a nível pessoal - e claramente foi o melhor investimento que tive na minha vida, foi o MBA”, conta o gestor que encontrou na Porto Business School as competências nas áreas de gestão de equipas, planeamento, interação com stakeholders, que lhe permitiram adaptar às mudanças que a área de negócio exigia.

 

Da Porto Business School, Jorge levou muito mais do que ferramentas e técnicas de gestão.  Pela envolvência, pelas pessoas, pelos projetos reais de negócio, pelos eventos como conferências e masterclasses, e, sobretudo, pelo networking que esta escola traz que é uma das mais-valias, continua Jorge Correia, Senior Manager da Winning Scientific Management. “Hoje em dia, a Porto Business School tem um portefólio de programas tão vasto que cobre toda a cadeia de valor de um negócio. Por isso, é difícil não encontrar aqui uma solução para um gap, uma competência, uma necessidade que exista na carreira profissional. A escola ajuda a ter uma solução quase end to end, para um aluno que pretenda colmatar determinado gap na sua carreira”, afirma.

 

O gestor não tem dúvidas que, tal como nos negócios, onde se espera o retorno dos investimentos, a sua experiência na Porto Business School teve retorno num curto espaço de tempo, com reflexos positivos na sua carreira profissional.

 

Na conjuntura atual, que exige a constante reinvenção do modelo de negócio, é fundamental fazer a mudança acontecer e a Porto Business School é a rede de suporte, a facilitadora dessa mudança.  “Não mudar é parar numa constante pressão num mercado que é uma selva, pela quantidade de empresas que surgem todos os dias, pela concorrência. Se os gestores não forem capazes de reinventar o modelo de negócio, serem mais competitivos, inovadores e disruptivos, não conseguem vencer no mercado”, enumera Jorge Correia. 

 

Para dar resposta aos desafios atuais do mercado é preciso antecipar as necessidades de mercado, ter visão e conhecimentos de inovação, de gestão e de estratégia, aponta o gestor, exemplificando: “Eu não posso tentar que os clientes se adaptem ao meu produto, eu tenho que ter produtos que se adaptem aos meus clientes que existem no mercado, isto é um ponto muito importante na gestão e no tecido empresarial hoje em dia. Se um gestor não tiver esta visão vai ser engolido por outro fornecedor, pela concorrência”, sustenta.

 

Para o gestor que está prestes a completar 40 anos, a Porto Business School é muito mais do que uma escola que alavancou a sua mudança a nível pessoal e profissional. “A Porto Business School para mim é uma casa. Às vezes tenho saudades de estar aqui a estudar. Em qualquer uma das formações que fiz, vivia dia e noite aqui, queria levá-las até ao fim com a melhor nota possível. Estou a investir na minha carreira, estou a investir no meu desenvolvimento profissional e quero tirar o melhor que posso daqui. Não é só ter mais um canudo, isso não traz valor”, recorda.

 

Da passagem pela Porto Business School, Jorge lembra dois docentes que o marcaram e que o inspiraram nesta mudança: Daniel Bessa, um verdadeiro storyteller, com vasta uma experiência na área da gestão e António Murta, para si, um role model na gestão em Portugal.

 

Questionado sobre o futuro e sobre como se vê daqui a 10 anos, o antigo aluno da Porto Business School gostaria de partilhar a sua experiência com os que procuram fazer a mudança acontecer. “Deixar os outros beberem da minha experiência porque este é um dos pontos importantes desta escola - não ter apenas académicos, mas ter académicos com uma experiência profissional muito vasta, o que é um fator diferenciador nesta escola”, conclui o antigo aluno da Porto Business School.