Barcos solares menos poluentes e mais silenciosos, uma inovação made in Portugal

Formulário de pesquisa

Barcos solares menos poluentes e mais silenciosos, uma inovação made in Portugal
Sun Concept

Barcos solares menos poluentes e mais silenciosos, uma inovação made in Portugal

A Sun Concept foi a primeira empresa portuguesa a produzir barcos solares e também uma das primeiras a nível mundial na conceção de barcos menos poluentes e mais silenciosos. Esta start-up de base tecnológica que nasceu no Algarve tem como missão ser um dos principais players da revolução náutica em curso rumo à sustentabilidade.

Com dois anos de história, a Sun Concept – Solar Boat Builders tem no seu ADN a sinergia entre a inovação, design e sustentabilidade, na conceção de embarcações mais ecológicas, porque usam a energia solar em vez de combustíveis fósseis, não emitem gases com efeito de estufa e deslocam-se de forma silenciosa e harmoniosa. E além de tudo isto ainda são mais económicas.

 

O projeto criado por um pequeno núcleo de investigadores nasce da consciência ambiental e social com a preocupação de anular o consumo de combustíveis fósseis como forma de diminui os impactos ambientais, dar resposta aos desafios das alterações climáticas, contribuir para a conservação da biodiversidade e dos ecossistemas.

 

 “Vimos a oportunidade de desenharmos, desenvolvermos e construirmos embarcações mais amigas do ambiente, isto é, que não utilizassem combustíveis, nem emitissem gases que produzam efeito estufa e cujo ruído e deslocação não afetasse tanto o meio marinho, especialmente em áreas protegidas essenciais à sustentabilidade das espécies marinhas. E que, simultaneamente, contribuam para a retenção de maiores rendimentos para os seus utilizadores, especialmente mariscadores e pequenos operadores turísticos reconvertidos de atividades piscatórias, considerando o gasto NULO por milha navegada”, explica Manuel Brito, CEO da Sun Concept.

 

. Visão estratégica rumo à sustentabilidade 

 

Com a missão de ser um dos principais players da revolução náutica em curso, nos últimos dois anos a Sun Concept tem evoluído positivamente a vários níveis, num trabalho conjunto com parceiros e especialistas em diferentes áreas, da arquitetura à engenharia naval passando pela eletrotecnia e eletrónica.

 

“Permitiu-nos uma aprendizagem muito importante, quer ao nível do que o mercado quer e ambiciona, o que nos permite configurar melhor o que fazer em termos de produto, quer nas possíveis respostas tecnológicas de design industrial dos cascos adequados à tecnologia que trabalhamos e no maior conhecimento dos sistemas de propulsão e tecnologias associadas”, adianta o CEO da empresa Manuel Brito.

 

O resultado do investimento da start-up de base tecnológica está patente nos modelos de embarcações da marca. O primeiro projeto da Sun Concept, empresa nascida em Olhão e que ganhou dimensão nacional, foi o SunSailer 7.0. Consiste numa linha de embarcações eletro-solares de 7 metros planeada para ser custo-eficiente, modelos desenhados para navegar em águas interiores como rias, estuários, rios e albufeiras, quer em lazer ou trabalho.

 

Para janeiro do próximo ano, está previsto o lançamento de um novo modelo, um catamaran de 12 metros, que poderá “ser um modelo revolucionário para a atual realidade”, sustenta Manuel Brito. Trata-se de uma embarcação com uma velocidade cruzeiro de 10 nós, velocidade máxima na ordem dos 14 nós, autonomia quase ilimitada, capacidade para cerca de 25 pessoas, e um desempenho extraordinário, quer em águas abrigadas quer oceânicas.

  

A Sun Concept está já a desenvolver um novo modelo de embarcação, entre 6 e os 8 metros, destinado a águas costeiras, cujo primeiro protótipo deverá estar na água no quarto trimestre de 2018.

 

. O impacto das medidas

 

A start-up portuguesa produz embarcações mais ecológicas, vendidas no mercado ao mesmo preço das embarcações equipadas com motores de combustão. Para isso, investe no design industrial dos cascos, no conhecimento das tecnologias de propulsão, assentes exclusivamente em tecnologia electro solar, e aposta também na produção em série dos seus modelos, por forma a tornar os nossos custos de produção e, consequentemente, os nossos preços de venda na média dos preços de mercado.

 

Tudo isto se traduz numa poupança significativa para os utilizadores, sejam eles operadores marítimo turísticos ou pescadores, nos gastos com combustível (acima de 500 horas de utilização/ano), com poupanças não inferiores a 10 mil euros/ ano e uma redução dos gastos com a manutenção de cerca de 75% ano.

 

 

Sustentabilidade em números

 

Poupanças até 10 mil euros/ano

 

Redução dos gastos de manutenção de cerca de 75%